Artigos

Saiba a Importância e garanta a segurança do trabalho na indústria alimentícia

Investir em boas práticas de segurança no setor de alimentos é fundamental não apenas para preservar a qualidade dos produtos, mas também para assegurar a saúde e o bem-estar do trabalhador. Aliás, só dessa forma é possível evitar os temidos riscos na indústria alimentícia.

Afinal de contas, ao adotar ações de prevenção e combate aos acidentes, sua empresa assegura o atendimento às normas regulamentadoras de segurança e garante que o trabalho seja executado de forma mais eficiente. Isso proporciona vários benefícios, desde redução de ausências até profissionais mais motivados e comprometidos com os resultados.

Qual é a relação entre segurança e produtividade?

Quando ocorrem acidentes de trabalho, ou os funcionários desenvolvem algum tipo de doença ocupacional, vários problemas surgem: afastamento dos profissionais, insegurança ao executar determinados procedimentos, insatisfação com as condições oferecidas pela empresa e até autuações por descumprimento das normas.

O tema é bastante preocupante, pois muitas empresas não percebem a importância de promover ações para a melhoria da segurança no trabalho. De acordo com o Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho, a cada 49 segundos, uma pessoa perde a vida por acidente ocupacional. As principais lesões são cortes, lacerações, fraturas e contusões, entre outros, afetando dedos, mãos e pés.

Além do prejuízo direto para a empresa, essas ocorrências também sobrecarregam a Previdência e a saúde pública. Conforme a análise do Observatório, de 2012 a 2018, esses gastos alcançaram mais de R$ 82 bilhões. Assim, ao investir em equipamentos de proteção adequados — tanto os individuais quanto os coletivos —, sua empresa reduz as ausências, melhora o ambiente de trabalho e ainda contribui para a redução de recursos públicos que podem ser aplicados em outras finalidades.

Como garantir o cumprimento das normas regulamentadoras?

As NRs (Normas Regulamentadoras) tratam basicamente de assuntos relacionados à segurança e medicina do trabalho, servindo de parâmetro para que empregadores e empregados sigam boas práticas a fim de diminuir o risco de acidentes e garantir o bem-estar de todos.

O órgão responsável por elaborar e revisar as NRs é o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Existe uma série de normas que são aplicáveis à indústria de alimentos, mas algumas são particularmente importantes por impactar diretamente o setor.

Uma delas é a NR 12, que trata da segurança no trabalho com enfoque no maquinário industrial. Tal norma determina as regras de transporte, montagem e instalação, bem como operação, ajuste, limpeza, manutenção e até a desativação e o desmonte.

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) é outra norma regulamentadora relevante no setor alimentício. Seu objetivo principal é prevenir acidentes e doenças ocupacionais. Para tanto, a equipe de trabalho deve elaborar um plano de ações preventivas, participar da implementação e do controle da qualidade, verificar as condições e o ambiente de trabalho, entre outras atribuições.

Vale destacar que a prevenção de riscos na indústria alimentícia requer a atuação atenta de profissionais capacitados na área da segurança do trabalho. Tal fator é primordial para assegurar o cumprimento das normas vigentes, incorporando-as dentro da cultura organizacional e, assim, garantindo qualidade de vida e bem-estar ocupacionais.

Qual a importância de prevenir riscos na indústria alimentícia?

Ao prevenir riscos na indústria alimentícia, sua empresa garante não apenas mais produtividade, mas também a redução de acidentes no trabalho. As boas práticas asseguradas em normas impactam também outros aspectos dentro da organização. Saiba, a seguir, quais são eles!

Motivação no trabalho

Um ambiente de trabalho seguro reflete diretamente a forma como os colaboradores se sentem. Afinal de contas, fica clara a percepção de que a empresa se preocupa com o bem-estar deles. Assim, há mais motivação e entrega para atingir os resultados.

Melhoria no clima organizacional

Promover a segurança no trabalho é um dos aspectos relevantes para assegurar um bom clima organizacional na empresa. A cultura do “cuidar” impulsiona a colaboração, afinal, os colaboradores compreendem a importância de cada um para que os objetivos sejam alcançados.

Retenção de talentos

Reter talentos é um desafio para as empresas. Isso porque profissionais de alta performance conhecem o seu valor, logo, precisam ser recompensados pelos resultados que entregam. A compensação não é apenas financeira, mas também diz respeito a um pacote de benefícios atrativo e à autonomia nos negócios, por exemplo.

Reputação no mercado

Empresas que zelam pela segurança e pelo bem-estar de seus funcionários, ainda mais se tratando do setor industrial, alcançam boa reputação no mercado. Assim, os talentos começam a se sentir atraídos por elas. Além disso, os consumidores passam a valorizar tais marcas por suas boas práticas.

Como promover a segurança do trabalho na indústria de alimentos?

Agora que você já percebeu a importância da prevenção, confira os principais cuidados para evitar que sua empresa faça parte das estatísticas de acidentes de trabalho.

PPRA e PCMSO

Todas as empresas devem elaborar o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO). Esses programas determinam o risco de cada atividade e o plano de ação para garantir a segurança e a saúde do trabalhador. O PPRA estabelece o uso de equipamentos de proteção que visam garantir a integridade dos profissionais, e o PCMSO monitora a saúde dos colaboradores e previne enfermidades relacionadas ao trabalho.

Equipamentos de proteção

Existem equipamentos de proteção individual (EPI) e de proteção coletiva (EPC) que devem ser previstos pelo PPRA e são fundamentais na indústria de alimentos. Entre os EPIs, os principais são luvas, máscara, protetores auriculares, botas de PVC, toucas, óculos, capacetes, aventais impermeáveis e roupa térmica para quem trabalha em áreas refrigeradas. Já os EPCs mais comuns são a sinalização adequada nas áreas de risco, extintores de incêndio, proteção em equipamentos, exaustores, entre outros.

Manutenção

Uma maneira de reduzir a ocorrência de acidentes é investir na manutenção preventiva dos equipamentos e na boa gestão industrial. Assim, o risco de falhas durante a operação é minimizado, protegendo o trabalhador.

Treinamento e instalações adequadas

Os movimentos repetitivos ou as posturas inadequadas também levam ao desenvolvimento de doenças, que podem provocar o afastamento do trabalhador. Por essa razão, é fundamental investir na adequação das instalações, para promover maior conforto e ergonomia. O treinamento também assume papel essencial, ao orientar os profissionais sobre a importância de seguir as recomendações e obedecer às medidas de segurança da empresa.

Investir na segurança do trabalho é um diferencial competitivo, pois reduz significativamente os riscos na indústria alimentícia, de modo a garantir maior produtividade no setor, além de melhorar aspectos internos e a forma como a empresa é vista pelo mercado e pelos consumidores. Logo, é um fator altamente relevante, já que as ações também se refletem na segurança alimentar e na qualidade dos produtos.

Fonte: http://blogdasegurancaalimentar.volkdobrasil.com.br/saiba-a-importancia-e-garanta-a-seguranca-do-trabalho-na-industria-alimenticia/

SOLICITE UM ORÇAMENTO SEM COMPROMISSO

FALE CONOSCO

Profissionais Capacitados em Segurança no Trabalho

Preencha com seus dados e um de nossos especialistas entrará em contato.

    ©2021 Grupo Epesma - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Preciso Web